0
(41) 3292 4259
(41) 99176-9800
Seg - Sex. das 08h00 às 17h00

Minha Sacola

0 itens

Você não tem nenhum item no carrinho ainda.

Edemilson Padilha

Meu nome é Edemilson Padilha, tenho 47 anos. Em 1990 fundei a Conquista Montanhismo, bem na época em que comecei a ir para as montanhas.

Ganhei três vezes o Prêmio Mosquetão de Ouro, o mais importante do montanhismo nacional e também fui vencedor do Prêmio Go Outside, como escalador do ano.

Da minha trajetória, posso destacar a escalada do Cerro Torre, em 2005 e do Cerro Fitz Roy, em 2006, quando fizemos a repetição de uma via que nunca havia sido repetida. Ambas montanhas localizadas na Patagônia e ícones do alpinismo mundial.
Também escalei em 2011 o Salto Angel, a maior cachoeira do mundo, na Venezuela, até hoje escalada apenas por 4 equipes. Nesses quase 30 anos de montanha, especializei-me em grandes paredes, participando da conquista alguns dos maiores paredões do Brasil, como a Pedra Riscada, Pedra Baiana, Fortaleza e da Lavra; além de mais de 200 vias no estado do Paraná, que é onde vivo atualmente, contribuindo para o desenvolvimento da maioria dos setores de escalada em arenito, do interior do estado.

Fora a escalada, sou vegetariano e tenho uma postura de respeito ao meio ambiente. Também gosto muito de estar na natureza, de levar meu ukulele para o topo das montanhas e fazer um som. Sou grato a Deus por viver aqui nesse planeta!

Ian Padilha

Meu nome é Ian Padilha, tenho 24 anos. Comecei a escalar, por influência da minha família, desde pequeno acompanhei meu pai Edemilson Padilha, sempre íamos para a montanha acampar, escalar e tomei gosto pela Montanha, Escalada, Camping. 

Em 2013 me dediquei muito em buscar mais performance na escalada, e com muita disciplina e vontade, consegui evoluir e alcançar alguns projetos pessoais, como a Via "Longa Metragem 10c", uma das vias mais difíceis do sul do Brasil.
 Nos anos seguintes me dediquei em escalar muitas vias e boulders pelo Brasil e pelo mundo a, tive a oportunidade de viajar para o Mexico, Argentina, Africa do Sul. Todas as trips foram muito bacanas, consegui aprender muita coisa com vários escaladores do mundo inteiro, e a adquirir mais conhecinhentos e experiências que me ajudam a continuar em constante evolução. Sempre fui mais da escalada esportiva e boulder, porém há uns 3 anos atrás, comecei a me aventurar nas Escaladas Tradicionais e de Grandes Paredes, junto com meu pai e nossos amigos. Vi ali naquele cenário, que o escalador "todo terreno", é o que mais se diverte e permeia por todos os estilos, aproveitando o que há de melhor em cada um deles. Tanto nas alguras das Escaladas de Grandes Paredesm, com belas imagens, como a vibe da galera do boulder e farra com amigos. Gosto bastante de todo o processo da escalada, de viajar com os amigos, de fazer um som com a galera, cozinhar uma janta, tomar um café da manhã, me encanta o estilo de vinda da Montanha. 

Murilo Vargas

Natural de Belo Horizonte e radicado no Rio de 
janeiro, tem 39 anos de Idade.

Comecou a escalar antes de completar 20 anos e desde então, ficou obcecado em viver este lifestyle dedicando-se integralmente as atividades de montanha e escalada esportiva.
Com o passar dos anos, Murilo passou a dedicar-se na fotografia com objetivo de contar as mais incriveis histórias de seus próprios amigos conseguindo unir suas duas paixões, fotografia e escalada.

Atualmente, Murilo produz fotografias e videos do mundo outdoor para os mais renomados veículos de mídia do país, além de marcas que dê alguma maneira querem se apropriar deste território incrível que a escalada proporciona.




   







 

 

Luana Riscado

Tenho 28 anos. Comecei a escalar aos 14 anos por influência da minha irmã e por incentivo dos meus pais. Desde então nunca mais parei.
 

No princípio minha evolução vinha com os projetos na rocha, mas ao longo desse processo fui abrindo espaço para as competições e que hoje são parte importante da minha motivação como atleta. Por outro lado, devo muito a escalada outdoor que me permitiu acessar a verdadeira essência da escalada, vida simples e desfrutar lugares e pessoas incríveis ao redor do país! Na rocha meu foco maior foi nos boulders realizando alguns projetos pessoais, como o “Inominado V11” um dos boulders mais clássicos e difíceis da Urca, o “Canindé V10” em Ouro Preto. No mundo das competições destaco dois títulos de Campeã Carioca de Boulder e campeã no Campeonato Brasileiro de Boulder da CBME em 2015. A partir de 2016 a minha convocação pela ABEE (Associação Brasileira de Escalada Esportiva) para a Seleção Brasileira de Escalada, e a confirmação da escalada como esporte olímpico, aumentaram ainda mais a minha dedicação aos treinos, que passaram a contar com uma planificação profissional. Com o ganho de performance passei a figurar entre as melhores atletas do país e com isso tive a oportunidade de representar o Brasil em algumas etapas da Copa do Mundo (2018), no Mundial em Innsbruck (2018) e no Pan-Americano em Los Angeles (2020), nesse último bati o recorde brasileiro na modalidade speed em uma parede oficial do IFSC com o tempo de 10.57 segundos. Para além da minha história como atleta a escalada é a minha filosofia de vida que me traz auto-conhecimento, superação dos limites e evolução como ser humano integrado aos princípios da natureza!

Willian Lacerda

Tenho 43 anos. Comecei escalar em 1996, me apaixonei pelas montanhas e nunca mais parei.

Já escalei em muitos locais como Patagônia, Yosemite, Indian Creek, e em muitos outros locais.

Nestes mais de 20 anos escalando o que mais me atrai é a conquista de vias, amo estar nas montanhas, e em grandes paredes.
Participei da conquista de alguns dos maiores paredões do Brasil, como a Pedra Riscada, Pedra Baiana, Fortaleza, 3 Pontões, Pedra do Garrafão, Ferraria, entre outras.

Tenho mais de 400 vias abertas, muitas nos arenitos, que é o forte da região onde vivo.

Penso que abrindo vias estou contribuindo para o fortalecimento do esporte, fomentando o turismo local, e até ajudando o comunidade local destas áreas com uma renda extra. Demonstrando a importância de cuidarmos e preservarmos a natureza.

Com a abertura da via Sangue Latino e a Travessia King Kong ganhei 2 vezes o Prêmio Mosquetão de Ouro, o mais importante do montanhismo nacional.



Jonas Leffeck

Tenho 27 anos e pratico escalada desde os meus 12 anos de idade.

Encontrei a escalada através de um amigo na pequena cidade de Campo Alegre em Santa Catarina, onde vivo.

Gosto mais do estilo de Escalada Esportiva, Boulder e Escalada de Competição, tanto de Boulder como de Via.

Fiz a primeira ascensão (FA), da via "Viking vai de Uber" que foi o primeiro 11°a de Santa Catarina, que está entre uma das vias mais difíceis do Brasil, e também das vias "Promessas Vazias" 10°c ambas localizadas em Corupá/São Bento do Sul. E no mundo da Escalada de competição já fui campeão Brasileiro de Boulder.










Felipe Alvares

Atleta da escalada com a missão de proporcionar às pessoas o poder da aventura.

Moro em Belo Horizonte/MG, comecei a escalar em 1999 e desde então passei a viver completamente focado na escalada, tanto na vida pessoal como na parte profissional.

Atualmente sou sócio da Empresa 4Climb, que produz equipamentos e acessórios para escalada, e através da nossa empresa, consigo viajar à trabalho e também aproveitando a escalada de cada região, além de conseguirmos promover vários eventos e festivais de escalada pelo Brasil.

São mais de 20 anos de dedicação na escalada esportiva, escalada indoor, boulders, escalada big wall e até montanhas acima de 6.000 metros. 

Fanático pelo esporte e sempre na busca das aventuras mais inóspitas. O resultado disso são novas "conquistas" e novas oportunidades para as futuras gerações do esporte.














Valdesir Machado

Tenho 45 anos, empresário, residente em Curitiba, marido e pai de três lindas filhas e escalo desde 1996.

Inicialmente comecei como a maioria dos escaladores paranaenses da época, no Anhangava, porém logo comecei a migrar para os arenitos dos Campos gerais do nosso estado e logo em seguida iniciei nas grandes paredes, onde descobri o estilo que realmente gosto.

Com o passar dos anos, fiz diversas expedições de escaladas pelo mundo, tais como:
Diversas montanhas nos Alpes franceses, El Capitan (Estados Unidos), Lótus Flower (Canadá), Salto Angel (Venezuela) e diversas agulhas na Patagônia Argentina, com destaque para o Cerro Fitz Roy.

Participo ativamente em desenvolvimento de novos setores de escalada e também na abertura de diversos Big walls pelo Brasil, resultando em três premiações do mosquetão de ouro.

Tenho o montanhismo e a escalada como uma fração muito significativa de minha vida, com certeza é daí que consigo extrair o equilíbrio em minha vida.